PÁSCOA PARA TODOS


PÁSCOA PARA TODOS
Páscoa é dizer sim ao amor e à vida; é investir na fraternidade, é lutar por um mundo melhor, é vivenciar a solidariedade.
                                    Stela Maris Blandino

PÚBLICO-ALVO
Alunos da educação infantil, ensino fundamental e ensino médio

OBJETIVOS

Proporcionar meios para os alunos conhecerem e refletirem sobre o verdadeiro sentido da Páscoa.
Diferenciar a abordagem espiritual da abordagem comercial, destacando o significado de cada uma.
Discutir o significado simbólico do chocolate em nossa cultura.
Propiciar momentos de reflexão sobre o tema Páscoa, abordando valores e garantindo a participação de todos os alunos.
Oferecer oportunidade de usar diferentes recursos tecnológicos para trabalhar o tema Páscoa.
Propor atividades que demonstrem boas ações na prática.

JUSTIFICATIVA

Um dos papéis fundamentais da escola é levar o aluno a conhecer as principais manifestações culturais de seu meio e construir uma relação de respeito com elas. A intenção deste projeto é promover atividades lúdicas e dinâmicas a fim de despertar o interesse e ampliar o repertório cultural dos
estudantes.

Como a data comemorativa tem forte apelo comercial, este projeto busca apresentar diferentes abordagens referentes à data, para o aluno, alvo da mídia, deixar de ter contato passivo e de aceitação sem conhecimento do real valor dessa comemoração, de modo a tornar-se participativo, crítico-reflexivo, levantando hipóteses em relação ao objeto de estudo, e ser assim capaz de demonstrar o que aprende em suas ações.

AÇÕES PROPOSTAS PELO PROJETO

Levantamento do conhecimento prévio dos alunos sobre o tema, mediante conversas informais.

Leitura de quadrinhos, histórias e poesias sobre o tema.

Atividades em grupos — jogos, brincadeiras e dramatizações sobre a Páscoa.


Interpretação e resolução de situações-problema envolvendo o tema.

1) Questionamentos para atividades de pesquisa e estatística:

- Quantos países comemoram a Páscoa? Quantos não comemoram?
- Em que país começou a comemoração da Páscoa?
- Como são as comemorações de Páscoa pelo mundo?
- Como é a Páscoa dos judeus?
- Qual a história dos ovos de chocolate?

2) Confecção de cartazes com desenhos, mensagens e expressões artísticas sobre a Páscoa.

3) Produção de textos individuais e coletivos.

4) Dramatização, memorização de quadrinhas, coro falado, músicas e brincadeiras inspirados no tema.

4) Confecção de cestas de Páscoa e arrecadação de doces para doação, com o propósito de os alunos perceberem que é muito bom realizar boas ações, que isso os faz pessoas melhores.
Os alunos fazem demonstração das principais atividades desenvolvidas durante o projeto, levando para casa os materiais trabalhados em aula. A escola escolhe a entidade para doação das cestas de Páscoa confeccionadas por eles.
SUGESTÕES E CURIOSIDADES
Os alunos podem acessar vários sites de pesquisa para descobrir curiosidades sobre essa festa.

Indicação de Vídeo 
O verdadeiro significado da Páscoa – Crianças contam o significado da Páscoa cristã.
Recomendamos assistir ao vídeo com os alunos.Clique aqui
 
A primavera está chegando – A Páscoa é uma festa religiosa dos cristãos e comemora a ressurreição de Jesus. Muito tempo antes, povos do Hemisfério Norte festejavam nessa época a chegada da primavera e o renascimento da natureza. Usavam símbolos como coelhos e ovos pintados de cores que lembram o colorido que toma conta do campo na primavera.

Bruxinhas à solta – Na Suécia e em outros países da Escandinávia, as crianças se vestem de bruxas na quinta-feira santa ou na véspera da Páscoa e visitam os vizinhos. Deixam um cartão esperando receber algo em troca.

De todas as cores – Na Ucrânia, país da Europa, uma das tradições é pintar ovos de verdade para presentear na Páscoa. Chamados de pessankas, as cores e os desenhos têm significados especiais.

Ovos de coelho? – Há várias lendas sobre o coelho da Páscoa. Uma história alemã, que chegou à América com os imigrantes, diz que um coelhinho visita as crianças escondendo os ovos coloridos no domingo de Páscoa. Outra lenda conta que uma mulher coloriu alguns ovos e os escondeu para seus filhos procurarem na Páscoa. Quando eles descobriram o ninho, um coelho passou correndo e espalhou-se a notícia de que ele havia deixado os ovos.

Cadê o ovo? – Nos Estados Unidos, é costume brincar de caça ao ovo de Páscoa. Os pais escondem ovos e as crianças têm de encontrá-los.
Ideia gostosa – Antigamente as pessoas presenteavam com ovos de verdade. A ideia genial de substituir os ovos de galinha pelos de chocolate foi dos vendedores de doces.

Outra páscoa – Os judeus comemoram a Páscoa entre os meses de março e abril, com o nome de Pessach. São oito dias de festa para celebrar um acontecimento da época dos faraós: a saída dos judeus do Egito, onde viviam como escravos, em busca de um lar. As famílias se reúnem, os pais falam de antigas tradições para os filhos e todos comem alimentos feitos de modo especial.
Qual o significado dos principais símbolos da Páscoa?

Coelho
Símbolo de fertilidade, visto que se propaga facilmente, como deve espalhar-se a boa nova da ressureição pelo mundo.

  Ovo
Simboliza a ressurreição, porque dentro dele está uma vida oculta, misteriosa e na iminência de desabrochar. A vida que retorna.

Cordeiro – Simboliza Cristo sacrificado em favor do seu rebanho.
Pão e vinho – Simbolizam a vida eterna, o corpo e o sangue de Cristo.
BRINCADEIRAS

Caça aos ovos
Preparação – Pintam-se 15 ovos comuns de várias cores, apenas de um lado. Com guache é mais apropriado, pois as cores ficam mais vivas.  Esconda cada ovo em um lugar diferente, com a face pintada virada para baixo.

Desenvolvimento
 – As crianças têm 15 minutos para procurar os ovos, observá-los e mantê-los no lugar.
Nesta fase trabalham individualmente.

Formam-se equipes de quatro a cinco alunos, munidas de papel e caneta. Os grupos têm 15 minutos para enumerar, escrever a cor e a localização de cada ovo. Em seguida, o orientador caminha com as crianças conforme indicação do local dos ovos e, em cada caso, confere se a equipe acertou a descrição, com direito a ganhar um ponto. Vence o grupo com mais pontos.

Os ovos do vizinho

Preparação – Dividem-se as crianças em dois times. Delimita-se o campo com uma linha ao meio, cada equipe de um lado. No centro de cada campo desenha-se um círculo de cerca de um metro de diâmetro, dentro do qual se colocam quatro ovos para cada time. Essa quantidade é boa medida para 10 a 12 jogadores. Aumenta-se o número de ovos proporcionalmente ao de crianças.

Desenvolvimento – As crianças dirigem-se ao campo do adversário para pegar os ovos e colocá-los no círculo do seu campo, um de cada vez. O jogador transportando um ovo que seja tocado por adversário deve ficar parado no local até ser "liberto" pelo toque de um companheiro do time. O jogador dentro do círculo de qualquer campo não pode ser tocado. Vence quem consegue transportar seus ovos primeiro. Podem ser usados ovos de gesso, de brinquedo, de chocolate para distribuir entre todos depois ou o que seja mais adequado.
Hop... Hop... Coelhinho

Preparação – As crianças ficam em círculo e um dos jogadores é escolhido para iniciar o jogo.

Desenvolvimento – O jogador escolhido anda em volta do círculo e bate nas costas de cada componente, sempre dizendo a palavra "hop". Prossegue até escolher um colega, bater-lhe nas costas e dizer "coelhinho". Sai então correndo com o escolhido atrás dele. O primeiro fica a salvo se consegue alcançar o lugar do perseguidor antes que este lhe bata nas costas e diga a palavra "hop". Então o segundo recomeça o processo em torno do círculo, batendo nas costas dos colegas e dizendo a palavra "hop". Quando o perseguidor alcança o primeiro volta a seu lugar na roda e a criança "pega" tenta nova rodada do jogo.

Onde está o coelhinho

Preparação
 – Jogo ideal para início do dia, quando as crianças chegam separadamente. Coloca-se um coelhinho em lugar discreto, mas visível.
Desenvolvimento – À medida que as crianças entrem no ambiente, são orientadas a procurar o coelhinho. Cada uma sai em busca e, quando o acha, não deve dar mostra disso e sentar-se discretamente. O animador aproxima-se da criança que lhe diz onde o encontrou. Procede dessa forma até que todos informem “onde está o coelhinho”.

Onde estão os ovinhos

Preparação – Espalham-se ovinhos pela sala em lugares pouco visíveis, na ausência das crianças. Formam-se duas equipes de alunos, uma azul e outra vermelha.
Desenvolvimento – As crianças entram no ambiente para procurar os ovinhos. Cada ovinho encontrado vale ponto para sua equipe. Ganha a que conseguir mais ovinhos.

Fontes:
 
Atividades extras

Decorar caixinhas e mural
  • Faça o download da cartela com imagens de ovos.
  • Basta clicar na imagem abaixo para visualizar em alta resolução ou clique aqui para imprimir a versão em pdf
Conheça a origem da Páscoa no portal da Turminha Dom Bosco: http://www.turminhadombosco.com.br/Materias/Materia_Pascoa.html

Localização: www.turminhadombosco.com.br > Matérias > Páscoa

Aproveite também para ampliar seu projeto com as brincadeiras:http://www.turminhadombosco.com.br/Atividades/Pascoa/2009/Quebra_Cabeca.html

Localização: www.turminhadombosco.com.br > Atividades > Quebra - Cabeça Páscoa
ENSINO FUNDAMENTAL 2 / ENSINO MÉDIO
Reflexões e ações para ensino fundamental 2 e ensino médio
A história do chocolate

Que tal ir um pouco mais longe e examinar a trajetória desse doce, desde os rituais sagrados dos astecas até a conquista dos mercados mundiais, além das telas de cinema? Verifique igualmente os caminhos percorridos pelo cacau, da América do Norte à África. Afinal, eles passam pelo sudeste da Bahia, cenário dos amores de Gabriela e de tantos outros personagens de Jorge Amado, — uma terra onde, segundo o romancista, o visgo dos frutos prende para sempre os pés do trabalhador "grapiúna". Aproveite que a Páscoa está chegando e use o texto da revista como ponto de partida para uma aula de dar água na boca — e encher os olhos. Providencie cópias do quadro Os caminhos do cacau (abaixo) para distribuir entre os estudantes.




ATIVIDADES
Lembrar que a Páscoa cristã, que comemora a ressurreição de Jesus, tem origem na Páscoa judaica, que celebra a libertação dos hebreus escravizados no Egito. De que modo o coelhinho da Páscoa e os deliciosos ovos de chocolate entraram nesse circuito? Proponha pesquisa sobre o assunto. A turma vai verificar, por exemplo, que tanto os roedores felpudos quanto os ovos são símbolos de fertilidade. Pode-se dizer a mesma coisa do chocolate? Peça que os alunos pensem a respeito. Eles podem associar a Páscoa a outras festas do calendário cristão que tiveram o caráter alterado, transformando-se em datas de grande apelo consumista.
Informe: no Brasil, chocolate e futebol uniram-se pela primeira vez quando a Lacta criou o Diamante Negro, logo após a Copa do Mundo de 1938. O artilheiro do certame tinha sido o brasileiro Leônidas da Silva, chamado pela imprensa francesa de "maravilha negra". Por que uma empresa de chocolate procurou ligar sua marca a um atleta?
Proponha um estudo sobre as propagandas de chocolate com o objetivo de identificar as características mais valorizadas no produto. A pesquisa pode incluir as transformações do chocolate, desde os tempos em que era uma bebida ritual dos maias e astecas. Destacar o momento da criação do chocolate em barra, entre 1828 e 1847, fato que permitiu novas formas de consumo do alimento. Chame a atenção para a imagem do chocolate, ainda apresentado como guloseima infantil e saborosa, mas causadora de cáries e até obesidade. Filmes como Chocolate [Chocolat é um filme americano de 2000 dirigido pelo sueco Lasse Hallström. Data de lançamento: 15 de dezembro de 2000. Direção: Lasse Hallström. Autora: Joanne Harristendem] tendem a mostrá-lo como iguaria requintada e sensual. Possíveis questionamentos: As duas imagens são verdadeiras? Que fatores contribuem para a nova aura do chocolate?
Com prévia distribuição das cópias seguida da leitura do texto, enfoque a difusão mundial do cacaueiro. Informe: em algumas regiões, a planta não se adaptou bem. Nos séculos XVI e XVII, os espanhóis tentaram, sem sucesso, implantá-la na Indonésia e nas Filipinas. Em contrapartida, os pés de cacau aclimataram perfeitamente no sudeste da Bahia, aonde chegaram em meados do século XVIII, trazidos do Pará. Do final do século XIX até a década de 1920, as cidades de Ilhéus e Itabuna foram o eixo da economia cacaueira e de uma cultura muito particular, conhecida como civilização grapiúna. O romancista Jorge Amado, nascido em Itabuna, retratou em muitos de seus livros a realidade da região: o crescimento urbano e econômico, a usurpação das terras pelos latifundiários, o trabalho duro nas fazendas etc.
>Divida a classe em quatro grupos e encarregue-os de ler os romances Cacau, Terras do sem-fim, São Jorge dos Ilhéus, Gabriela, cravo e canela, nos quais Jorge Amado enfoca a região cacaueira.

>Proponha-lhes montagem de painel sobre aspectos da civilização grapiúna.

>Proposta de pesquisa: por que as plantações de cacau da Bahia estão decadentes? O site da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira pode ser boa fonte de informações sobre as razões desse declínio. 
.
Para ir além

 
Os caminhos do cacau
Originário da América, o cacau foi descoberto pelos espanhóis quando conquistaram o Império Asteca, na região do atual México. O produto consagrou-se como um item de consumo mundial depois de ser levado para a Europa, a África e a Ásia. Na África, adaptou-se tão bem que o continente é hoje o maior produtor do fruto em todo o planeta. Mas não foi só com o cacau que ocorreu tal transmigração. A batata, o milho e o tomate, entre outros, são espécies americanas que se difundiram pelo mundo inteiro. No entanto, além de exportar espécies, a América também as recebeu. É o caso do coqueiro, nativo da Índia, que passou pelo litoral africano e depois foi trazido para o Brasil pelos portugueses.
Esse processo de circulação de espécies esteve associado à expansão marítimo-comercial europeia iniciada no século XV. O episódio gerou uma história verdadeiramente global. Pela primeira vez, os continentes foram unidos por laços econômicos permanentes, que acabaram por promover mudanças de hábitos e costumes e a universalização do gosto. Pelo chocolate, por exemplo.

A partir da letra da música Todo mundo tem algum talento e do vídeo Rio+20-desafios da sustentabilidade (clique aqui para visualizar o vídeo), trabalhar com os alunos as possibilidades de ações, direcionando o trabalho que se encaixe na proposta de boas ações para um mundo melhor. Muitas vezes a solução de um problema pode ser resposta para outros, principalmente quando pessoas, escolas, governos, sociedade civil, empresas e organizações sociais trabalham juntos. Forme grupo com amigos, colegas, vizinhos. Cada um pode fazer o que gosta. A ideia é descobrir juntos o talento de cada um e dividir as funções, lembrando que todos têm que se envolver, todos são responsáveis pelo sucesso do projeto.
Letra da música
Todo mundo tem algum talento
Todo mundo tem algum talento e algum tempo
Mas às vezes falta um pouco de movimento
Sai do lugar, levanta daí
O que você sabe fazer, faz falta por aí
Se você sabe ler, leia
Se você sabe cantar, cante
Se você sabe ensinar, vender, pintar, curar, pedir
Se levante
Você pode simplesmente conversar com alguém
Você pode orientar, alimentar também
Tem alguém pertinho precisando do que
Você conhece tão bem
Então vem
Faça parte
Então vem
Faça a sua parte
Bota a mão na massa
Não espere
Vá e faça também
Não te custa nada, ajudar é de graça
Não guarde o seu talento no armário para as traças
Chega de culpar o mundo, quando no fundo
A solução taí! 

Sérgio Valente e Paulo César Bernardes
O mundo não anda mesmo muito bem. Todo mundo sabe, todo mundo fala. E o que podemos fazer para mudar isso? Tem que começar de algum jeito. Com os oito jeitos de mudar o mundo. Acredite.
Juntos podemos mudar nossa escola, nossa rua, nossa cidade, nosso país.

Em 2000, a Organização das Nações Unidas (ONU), ao analisar os maiores problemas mundiais, estabeleceu oito objetivos do milênio, que são os oito jeitos de mudar o mundo. Kofi Annan, secretário-geral da ONU, quando do lançamento do projeto 8 jeitos de mudar o mundo, disse:
"Precisamos, mais do que nunca, do engajamento dos voluntários para que o nosso desejo de um mundo melhor para todos se transforme em realidade”.

Esses objetivos, se alcançados pelos países, certamente vão melhorar a qualidade de vida de todas as pessoas.

Na publicação, há algumas dicas de como colocar em prática os oito jeitos de mudar o mundo. Que tal formar um grupo e desenvolver um projeto de voluntariado? Antes de começar, responda às perguntas propostas.

Que problema vocês querem resolver?
Quem serão os parceiros?
Quem vai ser beneficiado?
Como resolver o problema?
Onde e quando acontecerão as ações?
Você pode ajudar de formas bem criativas.
- Que tal formar um grupo de voluntários?
- Formar um grupo de teatro para apresentação de peças educativas na escola, em creches, asilos, hospitais.
- Produzir o jornal da escola e comunicar o que já está sendo feito pelos voluntários. Nada melhor que compartilhar experiências.
- Organizar o grêmio da escola, que pode promover cursos de inclusão digital e outros para geração de renda.
- Escolher temas de interesse comum e promover encontros com a comunidade. É fundamental aprender coisas novas sempre – Always learning.
Dentro dessa perspectiva e desse momento reflexivo podem surgir ações que ultrapassem a semana, levem mais tempo para execução. Nosso intuito é tornar nossos alunos reflexivos e atuantes.
Vamos aguardar informações sobre os efetivos resultados dos projetos desenvolvidos por nossos parceiros na comunidade.
Enquanto seu grupo atua, muitos outros estão fazendo sua parte. A soma de pequenas ações tende a fazer grande diferença e mudar o mundo.
Vale sempre lembrar: o verdadeiro sentido da Páscoa é a possibilidade de renovação e de fazer o melhor a cada dia.

 
Organizado por Lucimar Torres Rodrigues.
Consultora Pedagógica do Sistema de Ensino Dom Bosco.

Nenhum comentário:

Direitos autorais

Direitos autorais